Quando e para quê?

 

Uma estufa é qualquer estrutura que permita acondicionar as plantas protegendo-as dos eventuais riscos a que estão expostas - pestes e condições variáveis externas - e criar um ambiente controlado favorável ao seu crescimento.

 
   

As variáveis de ambiente a controlar são, principalmente, a temperatura, a humidade relativa e a concentração de CO2, embora estes factores dependam também, por seu lado, da natureza das plantas cultivadas:

  • Quer as temperaturas muito baixas, quer as muito altas, reduzem o crescimento da planta. Uma temperatura típica varia entre 10º e 20º C.
  • A humidade relativa muito elevada propicia o aparecimento de fungos, uma muito baix desacelera o crescimento da planta. Uma humidade relativa típica varia entre 50 e 70%.
  • Níveis demasiado baixos de CO2 limitam o crescimento das plantas, níveis demasiado elevados são prejudiciais. É conveniente notar que uma actividade fotossintéctica alta reduz bastante o nível de concentração. Por isso, durante o período quente, a estufa deve ser arejada para atingir os níveis de concentração do ambiente externo e, para tal, deve comportar componentes de ventilação.
 

Ocorrem diferentes situações em que as estufas podem ser úteis:

  • Ao servir de incubadora para as sementeiras, antecipando a eclosão das sementes e protegendo o desenvolvimento inicial das novas plantas.
  • Protegendo as plantas, especialmente as exóticas, dos frios rigorosos do Inverno e dos arrefecimentos repentinos em inícios da Primavera ou finai do Outono.
  • Servindo de ambiente de transição para plantas criadas em interior e que irão crescer, depois, crescer ao ar livre.
  • Muitos vegetais podem crescer em canteiros, de chão ou elevados, até serem colhidas para o consumo doméstico.
  • Algumas plantas poderão permanecer aí durante todo o ano para benefiarem de um ambiente controlado benéfico para a sua sobrevivência (aquecimento durante o tempo frio, sombra no tempo quente, defesa contra os ventos e as doenças). 
 

Com quê? Materiais

 
Uma estufa compõe-se geralmente de uma estrutura e de materiais de cobertura transparentes. O seu desenho depende dos materiais utilizados, do orçamento disponível e dos fins a que se destina.  
   

Estrutura

 

A estrutura, que abrange, geralmente, as paredes e o tecto, pode ser em:

  • Madeira
  • Aço
  • PVC
  • Alumínio
 
   

Cobertura transparente

 
  • Vidro - Tem o inconveniente de ser mais pesado, frágil e caro. Apresenta as vantagens de ser mais permeável à luz, não sofre a acção do tempo e é incombustível.
  • Plástico, por ordem crescente de resistência:
    • Polietileno - A versão mais comum de plástico é também a mais barata. Há-o em duas formas: de alta e de baixa densidade.
    • Copolímero (plásticos E.V.A.) - Mais resistentes ao impacto e às temperaturas baixas.
    • Polivinilo -
    • Policarbonato celular - plástico duplo, ou com uma parede dupla em plástico polietileno. A camada de ar que preenche o espaço das células aumenta as propriedades de proteção do calor. Mantém níveis excelentes de calor e humidade. O plano superior da folha sempre tem um revestimento especial para proteção contra radiação ultravioleta.
 

Como?  Tipos de estufas.

 

Um dos critérios mais relevantes para distinguir os tipos de estufa é o calor adicional que elas aportam. Enquanto as estufas propriamente ditas (estufas climatizadas) têm instalados sistemas de aquecimento que podem ser regulados de maneira a obter-se uma temperatura consistente, as estufas ditas 'Cold Frame' (estufas não climatizadas) dispõem apenas da luz solar como fonte de aquecimento, obtido pelo efeito de estufa. Este termo Cold Frame é equívoco pois designa também um tipo de estrutura específico.

 

Uma estufa que disponha de maneiras de controlar e manter a temperatura num nível constante pode ser uma 'estufa quente' (mínima de 15º C), uma 'estufa temperada' (mínima de 13º C), ou uma 'estufa fria' (mínimo de 7º C). As estufas de pequena dimensão não suportam sistemas de aquecimento os quais acabariam por "cozer" as plantas.

 
O tipo de estufa varia com a dimensão. Há estufas agrícolas, estufas de jardim e mini-estufas (estufins). O planeamento para a instalação de uma estufa deve contar com o espaço disponível numa localização adequada.  
   
  • Conventional (Post and Rafter greenhouses) - 
  • Estufa capela (A-Frame) - Telhados planos e rectos. Tem duas abas inclinadas de maneira a formar um triângulo ou um A. 
  • Estufa gótica (Gothic arch) - Telhados em ogiva
  • Túnel alto (Hoop house) - Telhados em arco. O tecto é abaulado, aproveitando melhor a acção do sol e é mais resistente ao vento.
  • Estufa de jardim com apoio de parede (Lean-to greenhouse / Attached greenhouse) - Partilha uma parede com a da casa ou garagem. Utiliza comummente o vidro como cobertura. Para exposição a Sul.
  • Janela saliente (Window greenhouse) - Utiliza janela saliente de sacada envidraçada, geralmente octogonal e térrea. Optimizada se exposta a Sul.
  • Windowfarm - Jardinagem vertical hidopónica.
  • Cold frame - Para colocação no jardim sobre as plantas para sua protecção. Deve ter um sistema de ventilação. Tem um problema que é o sobre-aquecimento.
  • Túnel baixo (Low Tunnel) - 
  • Cúpula (Dome) - Tem forma geodésica e constitui o melhor aproveitamento de sol e a maior defesa contra os ventos e a neve.
  • Half-Brick
  • walipini (Pit greenhouse
  • Portátil
 
   

 phoca thumb l Estufa 2019 01 27 i0116     phoca thumb l Estufa 2019 01 27 i0116

 
   

Onde? Local de instalação.

 
 Evitar o Norte  
 <em desenvolvimento>  
   
   

Saber mais:

 

 

 

 

Voltar a Cultivo