Compostagem e composto

  • Método controlado através do qual a matéria orgânica é transformada aerobicamente através da acção de microrganismos e macrorganismos específicos. Estes microorganismos estabelecem ligações entre as moléculas de azoto e as moléculas de carbono fixando proteínas e hidratos de carbono, que são facilmente assimilados pelas plantas.
  • Composto é o produto estabilizado, sem odores e com aparência semelhante a húmus, com elevado conteúdo de matéria orgânica, proteínas e hidratos de carbono, produzido durante o processo de compostagem de resíduos orgânicos.

Materiais a compostar.

  • Resíduos castanhos ou não putrescíveis (ricos em carbono): aparas de madeira e serradura, materiais secos que se transformam mais lentamente em composto e necessitam de oxigénio para a sua decomposição.
  • Resíduos verdes ou putrescíveis (ricos em azoto): material húmido e orgânico como por exemplo restos de comida e de composição vegetal que se transforma em composto através de processos aeróbicos e anaeróbicos.
  • C:N ou rácio Carbono/Azoto: O rácio ideal para uma compostagem eficaz é de 25-30:1. Os microorganismos que digerem o composto carecem de cerca de 30 partes de carbono para cada parte de azoto que consomem. Um excesso de azoto perder-se-á na atmosfera na forma de amónia. Em termos práticos, a mistura ideal é de duas partes de resíduos verdes para uma parte de resíduos castanhos.

Sistemas de compostagem "abertos"

  • Compostagem em leira, monte ou pilha: sistema de compostagem no qual a matéria orgânica é colocada em pilhas alongadas que são revolvidas periodicamente de modo a permitir o contacto com o ar e acelerar a degradação aeróbica. Este sistema normalmente opera com arejamento passivo, mas também pode ser operado com arejamento forçado. As pilhas são revolvidas para aumentar a porosidade e homogeneizar a pilha.
  • Compostagem em contentor: a matéria orgânica é confinada numa estrutura que limita a pilha em três ou nos quatro lados da pilha.
  • Compostagem em vala: a pilha de materiais é parcial ou totalmente depositada numa cova escavada abaixo do nível do solo.

Controlo da temperatura e humidade

  • A temperatura indica que os microrganismos estão a trabalhar no processo de fermentação. A temperatura deve ser monitorizada a partir de quinto dia da montagem da leira. Se a temperatura for tolerável significa que o processo de compostagem está a ocorrer normalmente. Se estiver de morno a frio, há necessidade de aumentar a temperatura por meio de reviramento. 
  • A humidade no interior da leira é outro factor de extrema importância para a vida e eficiência dos microrganismos na compostagem. A humidade no interior da leira deve ser mantida em torno de 60%. A monitorização pode ser feito pelo teste da mão. Este teste consiste em pegar com a mão um pouco de material do interior da leira e comprimi-lo com bastante força. O ponto ideal da humidade é quando a água começa a verter entre os dedos, sem escorrer

Ver mais

Voltar a Cultivo