"Nel mezzo del camin di nostra vita”

in O Tremontelo

13 de fevereiro de 2006

posted by Perdido @ 23:34

 

1999 03 06 matoAo fim do "povoado" um renque de sobreiros, um pequeno paraíso arrancado à mão, ano após ano, à selva escura.

'Nel mezzo del camin di nostra vita
'Mi ritrovai per una selva oscura,
'Che la diritta via era smarrita.'

(Dante Alighieri,I, 1-2-3).

Este blog é um concerto entre a ÁRVORE (solista) e a FLORESTA (Orquestra) admitindo todas as variações, quer do tema, quer da forma melódica.

Em “floresta” cabe todo o mundo floral: fadas, cogumelos venenosos, animais silvestres e semi-domésticos, taxonomias científicas, coníferas e caducifólias, os espacinhos “verdes” das nossas cidades, histórias da carochinha, cenários de filme, banda desenhada, a destruição da Amazónia, construções de Lego, alusões filatélicas, jardins, flores - das alpinas às do deserto, floreiras e floristas, quadros impressionistas do Sena, da Côte d’Azur ou do Taiti, rios, lagos e montanhas, rituais de iniciação em tribos africanas, paisagens de Science Fiction, o Éden, paraíso perdido, e os lugares da mitopoiética indo-europeia, as normas europeias para a conservação da natureza, os protesto dos Sem-Terra, o Robin Wood e o João Semterra.

Em “árvore” cabe toda a vida, e até a morte! Lembremo-nos como o fundador da mitologia cristã redimiu o pecado mortal no “lenho” da cruz, facto não muito espantoso dado que tal pecado consistiu em colher o fruto da árvore da sabedoria. Árvore viva- árvore morta ou pecado-redenção. E como a mãe divina, para recordar esse facto reapareceu aos pastorinhos em cima de uma “azinheira”. Nos dias de hoje, nas escolas, incitamos as crianças a plantar arvorezinhas. Os antigos europeus ofereciam alimentos às arvores e ornamentava-nas com prendas coloridas, costume que chegou aos nossos dias atravésl do pinheiro do Natal. Quando era jovem enamorado da vida, sagrei paixões intensas a golpe de canivete no córtice das árvores velhas. Os meus nomes, os meus corações e as minhas setas por aí ficaram misturados com os de outros, anterior ou posteriormente gravados. Na ocasião do estertor do romantismo, a ampulheta e as moto-serras condenaram ao olvídio os “linkes” dessa primitiva inter-rede anímica e amorosa. Viva, pois a Internet! O romantismo regressou.

Da Wikipédia: 'A árvore é um tipo de planta que, entre outros, se caracteriza por ter uma raiz, um tronco e ramos de madeira.
Pode ser classificada como uma planta com caule muito desenvolvido; resistente; lenhosa; com altura superior a 5 metros.'
 
Comentar


Código de segurança
Atualizar

Joomla templates by a4joomla